RADIALISTA CELSO ROMMEL: O MPBROCK DE MARCEL – MUSICALIDADE E CONCEPÇÕES DE MUNDO

O cantor e compositor Marcel, lançou o seu primeiro disco solo, “Amaré”, no dia 31 de dezembro de 2016, no site(Marcel oficial) e plataformas digitais. Este é o seu segundo trabalho, após o cd lançado com a banda soteropolitana Ventrílocos em 2007.

Na trajetória do grupo, Marcel teve breves passagens pela Concha Acústica (SSA), Circo Voador (RJ), Fundição Progresso (RJ) e Teatro Santa Marcelina (SP).
Nos Últimos anos, o músico se propôs a um “recomeço” e essa nova fase veio acompanhada da produção do álbum.

O Amaré é composto por 12 canções que recebem influências musicais variadas que evitam o estereótipo de estilos ou gênero musical.
A mistura do Amaré simboliza uma cultura . Um navegar constante sob tudo que é vivenciado. Musicalidade e concepções de mundo.

É MPB? Pode ser. É Rock? Pode ser também e muito mais. No entanto, o AMARÉ é MPBROCK.

“Foi a Música Popular Brasileira a que eu mais ouvi, depois fui ficando amigo do rock, me apaixonei e crescendo fui conhecendo, tendo flertes e mais paixões. Muitas que não dá para listar. Das mais antigas à atuais. A ideia do MPBROCK acredito que acredito que “representa o disco”.
O Amaré tem arranjos e produção assinada por Marcel e Rodrigo Subsolo foi responsável pela mixagem e masterização da obra.

As gravações foram feitas em Ipiaú, Ilhéus (guita: Ismera), Salvador (Acordeão: Daniel Gomes Neto) e Londres (baixo: CH Straatman).

Além disso, a obra reuniu uma gama de parceiros e um coral de crianças que interpreta “seco”, a primeira composição de Marcel iniciada aos 11 anos de idade.
Sobre essa experiência o músico relata.

” São mais de 20 anos dedicados a composição. Aos 11 anos de idade, compus seco. Eu ia cantá-la, mas depois pensei no tamanho do sonho de ser músico que eu tinha naquela época. Daí passei a meditar na ideia de motivar alguma criança que tivesse a idade que eu tinha “e com o mesmo sonho”.

Foi quando me deparei com o coral de crianças de um programa social que o prefeito eleito da cidade havia acabado de cancelar o contrato. Então pensei, as crianças estão decepcionadas por não ter mais onde se apresentar. Eu queria motivar um. Acabei regando mais de 40 sementes plantadas pela Professora Noélia”, contou Marcel.

Com um disco vasto que mescla gêneros e concepções de mundo, Marcel desagua no Amaré letras aportadas na ideia do fortalecimento do amor em uma “sociedade confusa. Reúne estilos com personalidade própria em um som atemporal devido ao elo de gerações que compõe a obra.
Reverberar essa musicalidade. É reviver o jeito de viver e reconhecer os recomeços que a vida pode nos proporcionar. E se esse disco veio a surgir. É por que com certeza precisamos ouvir!
Aperte o play e AMARÉ!

(Celso Rommel)

Share:

Deixe uma resposta